Sapo 24 âž± 1m atrĂĄs âž± Abrir

O FC Porto caiu hoje pela sĂ©tima vez em nove presenças nos ‘quartos’ da principal prova europeia de clubes de futebol, ao vencer o Chelsea por 1-0, depois do desaire por 2-0 na primeira mĂŁo.


Numa eliminatĂłria disputada em Sevilha, culpa da pandemia da covid-19, um tento do suplente iraniano Taremi, aos 90+4 minutos, foi hoje insuficiente para os ‘dragĂ”es’ darem a volta ao 0-2 de quarta-feira, selado por Mount e Chilwell.

Desta forma, os ‘dragĂ”es’ nĂŁo conseguiram repetir o que haviam conseguido face aos dinamarqueses do Brondby, em 1986/87, e aos franceses do Lyon, em 2003/2004, rumo, nas duas ocasiĂ”es, ao tĂ­tulo europeu.

O Chelsea junta-se, assim, aos ‘colossos’ Bayern Munique (1990/91, 1999/2000 e 2014/15), Manchester United (1996/97 e 2008/09) e Liverpool (2018/19), as outras equipas que tinham feito o FC Porto falhar as meias-finais.

Na primeira presença da sua história nos ‘quartos’, o FC Porto não teve facilidades para seguir em frente, uma vez que, após o 1-0 caseiro face ao Brondby - com um golo de Rabah Madjer, aos 71 minutos -, esteve a perder na Dinamarca.

Um tento de Per Steffensen, aos 36 minutos, empatou a eliminatĂłria, para, aos 74, Juary qualificar os portistas. O argelino e o brasileiro seriam, depois, determinantes na final de Viena, ao marcarem os dois golos face ao Bayern (2-1).

Quatro anos depois, os ‘dragĂ”es’, ainda comandados por Artur Jorge, voltaram aos ‘quartos’ e pareciam bem encaminhados para ‘enganar’ novamente os bĂĄvaros, ao empatarem 1-1 na Alemanha, onde Domingos PaciĂȘncia ‘anulou’, aos 65 minutos, o tento inicial de Manfred Bender, aos 30.

No Estádio da Antas, no Porto, o Bayern, letal no contra-ataque, logrou, no entanto, a ‘vingança’, ao ganhar por 2-0, com um tento de Christian Ziege, aos 19 minutos, e um segundo na eliminatória de Bender, aos 67.

Em 1992/93 e 1993/94, os ‘dragĂ”es’ acabaram no ‘top 8’, mas, entĂŁo, nĂŁo havia quartos de final, a duas mĂŁos, mas uma fase de grupos com dois grupos de quatro equipas. Na primeira edição, seguiu-se a final e, na segunda, as ‘meias’, Ă s quais o FC Porto chegou, para cair fora face ao FC Barcelona (0-3).

A terceira aparição data, assim, de 1996/97, e o adversårio foi o Manchester United, que resolveu a questão em Old Trafford, ao golear por 4-0, com tentos de David May, Cantona, Giggs e Andy Cole, para depois empatar a zero na Antas.

TrĂȘs anos volvidos, o FC Porto voltou a chegar aos ‘quartos’ e apanhou novamente o Bayern. O confronto começou em Portugal, onde MĂĄrio Jardel adiantou os portistas, aos 47 minutos, antes do compatriota Paulo SĂ©rgio ‘gelar’ as Antas, aos 80.

No Olímpico de Munique, Paulo Sérgio voltou a faturar, aos 15 minutos, tal como Jardel, que, em cima dos 90, fez o 1-1, que forçaria o prolongamento. Nos descontos, os båvaros conseguiram, no entanto, chegar ao 2-1, por Thomas Linke.

Depois de trĂȘs eliminaçÔes consecutivas, o FC Porto enfrentou um adversĂĄrio mais acessĂ­vel nos ‘quartos’ de 2003/04 e levou a melhor, sentenciando, praticamente, o Lyon em casa (2-0), com tentos de Deco e Ricardo Carvalho.

Em França, Maniche resolveu, em definitivo, a eliminatória logo aos seis minutos e ainda ‘bisou’, aos 47, depois de Peguy Luyindula empatar. Aos 90, Giovane Elber selou o 2-2 final.

Com os ‘gigantes’ a cair como ‘castelos de cartas’, o FC Porto acabou, depois, por enfrentar o Deportivo, nas meias-finais, e o Mónaco, na final de Gelsenkirchen, e sagrou-se campeão europeu pela segunda vez.

Foi, então, preciso espera cinco anos por nova presença nos ‘quartos’, que aconteceu em 2008/09, com o ‘velho conhecido’ Manchester United, que o FC Porto ‘empatou’ (2-2) em Old Trafford, com tentos de Cristian Rodríguez e Mariano González, contra os de Wayne Rooney e Carlos Tevez.

A Ășltima palavra, no DragĂŁo, foi, porĂ©m, de Cristiano Ronaldo, que, com um ‘golĂŁo’, logo aos seis minutos, que viria a valer um PrĂ©mio Puskas, apurou os ‘red devils’.

Seis anos volvidos, em 2014/15, o ‘cliente’ foi, pela terceira vez, o Bayern e o FC Porto, com uma atuação soberba, ganhou em casa por 3-1, com dois golos de Ricardo Quaresma (trĂȘs e 10 minutos, o primeiro de penĂĄlti) e um de Jackson MartĂ­nez (65), depois de Thiago AlcĂąntara reduzir (28).

Mas, na Alemanha, ‘só deu’ Bayern, que goleou os portugueses por inapeláveis 6-1, incluindo dois do polaco Robert Lewandowski.

HĂĄ dois anos, o FC Porto voltou a chegar aos ‘quartos’ e nĂŁo teve qualquer hipĂłtese face ao Liverpool, que venceu por 2-0 em casa (Keita e Firmino) e por 4-1 no DragĂŁo (ManĂ©, Salah, Firmino e Van Dijk). De nada valeu o tento de Éder MilitĂŁo.

Para efeitos estatĂ­sticos, o jogo de hoje foi fora e esta Ă© assim, a vitĂłria nĂșmero 1 do FC Porto como visitante no reduto de um clube inglĂȘs, depois de trĂȘs igualdades e 18 derrotas.

Os ‘dragĂ”es’ tinham conseguido ‘empatar’ duas vezes o Manchester United - a um golo em 2003/04, rumo ao segundo tĂ­tulo europeu, e a dois em 2008/09, numa eliminatĂłria que Cristiano Ronaldo resolveria no DragĂŁo (0-1) - e uma o Liverpool (0-0 em 2017/18), apĂłs um 0-5 caseiro.

De resto, sĂł acumulavam derrotas, a Ășltimas das quais jĂĄ em 2020/21, no jogo de estreia no Grupo C da Liga dos CampeĂ”es, no Etihad Stadium, onde o Manchester City se impĂŽs por 3-1.

ApĂłs sete jogos e mais de 640 minutos sem conseguir sequer qualquer golo em solo inglĂȘs, o conjunto ‘azul e branco’ ainda se adiantou no marcador, graças a um golo do internacional colombiano Luis DĂ­az, apontado logo aos 14 minutos.

Mas, os comandados do catalĂŁo Pep Guardiola restabeleceram igualdade aos 20 minutos, num penĂĄlti do argentino AgĂŒero, e marcaram mais dois tentos na segunda parte, pelo alemĂŁo GĂŒndogan, aos 65, de livre direto, e o espanhol FerrĂĄn Torres, aos 73.

Face ao Chelsea, o FC Porto acabou com uma sĂ©rie de quatro desaires, sendo que trĂȘs tinham sido consumados face ao treinador portuguĂȘs JosĂ© Mourinho, que rumou aos ‘blues’ apĂłs conduzir os ‘azuis e brancos’ ao tĂ­tulo em 2003/04.

Os ingleses, comandados pelo ‘special one’ venceram por 3-1 em 2004/05, na fase de grupos, e por 2-1 em 2006/07, apĂłs 1-1 nas Antas, nos ‘oitavos’, e, sob o comando do ‘happy one’, na segunda passagem pelo clube, por 2-0 em 2015/16, tambĂ©m na fase de grupos.

Pelo meio, o Chelsea, comandado pelo italiano Carlo Ancelotti, ganhou por 1-0 em 2009/10, também na fase de grupos.

Em Inglaterra, o FC Porto foi derrotado, no total, por nove equipas, sendo que, alĂ©m do recordista Chelsea (quatro triunfos), tambĂ©m venceram mais do que uma vez os ‘dragĂ”es’ o Arsenal e o Liverpool (ambos trĂȘs) e o City e o United (ambos duas).

Os ‘dragĂ”es’, que somam 12 golos marcados, contra 54 sofridos, tambĂ©m perderam uma vez com Newcastle, na primeira visita, em 1969/70 (0-1 na segunda mĂŁo da segunda eliminatĂłria da Taça das Cidades com Feira), Wolverhampton, Tottenham e Leicester.