Rtp ⸱ 3d atrás ⸱ Abrir

A Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) anunciou esta terça-feira que prevê uma retoma da competição profissional em 10 de abril, indicando que o calendário de estrada está “numa fase mais adiantada de renovação”.


“Atendendo à importância desportiva, mas também social e económica, do ciclismo profissional de estrada, o respetivo calendário está numa fase mais adiantada de renovação, embora esteja dependente da mobilização dos diferentes parceiros que colaboram com os organizadores, prevendo-se a retoma de competição profissional para o dia 10 de abril”, pode ler-se em nota publicada no sítio oficial da entidade na Internet.

O pelotão luso deveria ter ido para a estrada na Volta ao Algarve, inicialmente agendada para entre 17 e 21 de fevereiro, mas que foi adiada devido à pandemia de covid-19.

De acordo com o plano de atividades da FPC, publicado em 15 de dezembro, antes de o número crescente de casos de covid-19 em Portugal ter motivado um novo confinamento, nas próximas semanas deveriam correr-se a Prova de Abertura (07 de março), a Clássica da Arrábida (14 de março), a Volta ao Alentejo (17 a 21 de março) – a primeira prova a ser cancelada – e a Clássica da Primavera (28 de março).

Na nota hoje publicada, a FPC lembra que, neste momento, “apenas estão autorizadas pelas entidades oficiais competições exclusivamente de categoria absoluta (elite/profissionais), mas com restrições, necessidade de cumprimento de normas sanitárias decorrentes da situação pandémica e ausência de público”.

“Esta circunstância afeta diretamente a maioria dos eventos de ciclismo. Desde logo, impede a realização de encontros de escolas, provas de estrada de camadas jovens e provas de massas ou de masters. Por outro lado, as competições de estrada femininas, as corridas de BMX e de todas as disciplinas de BTT juntam todas as categorias, não sendo possível a sua realização no formato habitual no atual contexto”, nota a FPC.

A entidade diz ainda estar a trabalhar na “reorganização dos calendários desportivos amadores (de escolas a sub-23 e masters) para que a atividade possa ser retomada logo que os decretos do estado de emergência o permitam”.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.474.437 mortos no mundo, resultantes de mais de 111 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.086 pessoas dos 799.106 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.