Notícias ao Minuto ⸱ 2mês atrás ⸱ Abrir

Milhares de jovens ativistas pelo clima reuniram-se hoje no centro de Berlim para pressionar o Governo que sucederá à coligação de Angela Merkel a tomar medidas fortes contra as alterações climáticas.


O movimento "Fridays for Future" (sextas-feiras pelo futuro) convocou esta marcha entre a Porta de Brandemburgo e a sede do Governo um mês antes das eleições legislativas de 26 de setembro.

Empunhando cartazes com frases como "Faz amor, não CO2" ou "A neve deve continuar", os manifestantes gritaram "O nosso futuro não é um objeto de negociação!", numa referência às conversações em curso para formar a próxima coligação governamental.

Os sociais-democratas, vencedores das eleições, tentam formalizar uma aliança com os ecologislas e o partido liberal FDP, com o objetivo de instalar até ao início de dezembro um novo Governo dirigido pelo centrista Olaf Scholz (SPD).

Na semana passada, os partidos alcançaram um acordo preliminar que prevê, nomeadamente, a neutralidade carbónica até 2045 e acelerar o abandono do carvão até 2030.

Mas para a porta-voz do "Fridays for Future" na Alemanha, Luisa Neubauer, as medidas previstas são "insuficientes" para respeitar os compromissos internacionais de Berlim em matéria de redução das emissões, "após anos de ações dececionantes dos governos de Merkel".

O movimento exige que o objetivo de abandono do carvão em 2030 deve ser juridicamente contratualizada e que a poderosa indústria automóvel alemã pare até 2025 de construir veículos cujos motores queimem combustíveis fósseis.

Hoje, os manifestantes mostraram-se particularmente frustrados com o facto de os liberais terem desvalorizado uma proposta dos Verdes para introduzir um limite de velocidade nas autoestradas do país. O nome do líder do FDP, Christian Lindner, foi vaiado.

"É uma coisa quase sem custos e que faria uma grande diferença",lamentou Larena Dix, 23 anos, estudante de arquitetura em Dresden, que se juntou à manifestação na capital.

A amiga Celine Schneider, estudante de direito, implorou, por sua vez, aos Verdes para "não desistirem" nas negociações com os parceiros.

Leia Também: COP26: Greenpeace alerta para falsa propaganda ambiental

Mundo ⸱ Alemanha