NotĂ­cias ao Minuto âž± 2mĂȘs atrĂĄs âž± Abrir

Peritos das NaçÔes Unidas apelaram hoje ao Governo da NigĂ©ria para que dĂȘ prioridade Ă  reintegração das 279 crianças libertadas, apĂłs terem sido raptadas de uma escola pĂșblica no paĂ­s, e para que investigue estes crimes com transparĂȘncia.


"Devido a estes incidentes, muitas crianças nĂŁo regressaram Ă s aulas e algumas escolas fecharam em ĂĄreas prĂłximas, por receio de uma reincidĂȘncia. Isto pode significar o fim da educação destas crianças", denunciaram os peritos da Organização das NaçÔes Unidas, num comunicado emitido hoje.

Os responsĂĄveis da ONU manifestaram tambĂ©m preocupação com a falta de transparĂȘncia nas investigaçÔes de raptos anteriores, como o de 344 alunos de um internato em Kankara (norte do paĂ­s), que ocorreu em dezembro de 2020, tendo as crianças sido libertadas tambĂ©m apĂłs alguns dias.

Os peritos asseguraram que estes nĂŁo sĂŁo casos isolados e recordaram os que foram praticados nos Ășltimos anos contra mulheres e raparigas, algumas que foram forçadas a trabalhar, a casar ou a engravidar.

Assim, os peritos da ONU apelam tambĂ©m ao governo nigeriano para que tome medidas preventivas, para assegurar que tais raptos nĂŁo se repitam, e para que reforce a proteção das crianças em risco e assegure o acesso aos serviços necessĂĄrios, incluindo aos de saĂșde sexual e reprodutiva para mulheres e raparigas.

Os 279 estudantes libertados foram raptados em 26 de fevereiro na cidade de Jangebe (noroeste do paĂ­s) depois de um grupo de homens armados ter invadido uma escola secundĂĄria.

Leia Também: Libertadas e homenageadas pelo governo as raparigas raptadas na Nigéria

Mundo ➱ Nigéria