Sapo 24 ⸱ 2mês atrás ⸱ Abrir

A Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) espera candidatar no próximo ano o barco moliceiro e a construção naval a património da UNESCO, para ajudar a conquistar fluxos turísticos.


“O nosso objetivo é dentro de um ano estarmos a formalizar a candidatura e depois fazer todo o trabalho junto da UNESCO para que a candidatura venha a ter vencimento”, disse o presidente da CIRA, Ribau Esteves, em declarações à margem da apresentação da candidatura do barco moliceiro a património da UNESCO, que decorreu hoje em Vagos, no distrito de Aveiro.

A ideia da candidatura surgiu em 2001, aquando da realização em Portugal do congresso de embarcações tradicionais, mas nunca passou das intenções.

“A intenção já é muito velha. Este é um processo único que nunca se iniciou e que representa um investimento financeiro de cerca de 400 mil euros”, disse à Lusa Ribau Esteves.

Segundo o presidente da CIRA, a primeira fase do processo, que envolveu a realização de estudos de base, está terminada e começa agora a segunda fase, com a elaboração da candidatura, que deverá estar pronta até ao final deste ano.

“Julgo que é possível vir a ter um reconhecimento formal até 2023”, referiu Ribau Esteves, que é também presidente da Câmara de Aveiro.

O autarca realça que este será o primeiro “selo UNESCO” na região, considerando que isso poderá trazer um ganho de notoriedade, constituindo um atrativo adicional para "conquistar fluxos turísticos”.

“Nós não temos universidades com 500 anos, nem mosteiros da Batalha. O que nós temos é um território que tem este episódio como peça chave – a ria de Aveiro – e o elemento que nós temos melhor condição para vir a ter selo [da UNESCO] é o moliceiro e a carpintaria naval”, disse.

Nos inícios dos anos 70 do século passado estavam registados cerca de 3000 barcos moliceiros a operar na ria de Aveiro. Atualmente, há cerca de 50 barcos moliceiros, sendo que cerca de metade estão ao serviço das viagens marítimo-turísticas nos canais urbanos da ria de Aveiro.

A apresentação da candidatura do barco moliceiro a património da UNESCO assinalou o arranque do Congresso da Região de Aveiro que, nesta edição, irá percorrer os 11 concelhos que integram a CIRA, num programa que se prolonga até 6 de julho.