Not√≠cias ao Minuto ‚łĪ 1m atr√°s ‚łĪ Abrir

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, voltou hoje a criticar a imprensa e, num momento de descontrolo da pandemia de covid-19 no país, afirmou que para os jornalistas o vírus é o próprio chefe de Estado.


"Estamos a fazer o dever de casa", disse Bolsonaro numa breve conversa com um pequeno grupo de apoiantes, aos quais garantiu que o Brasil √© "um dos pa√≠ses que mais vacina" no mundo, apesar de at√© agora apenas cerca de 3% da popula√ß√£o, de 212 milh√Ķes de habitantes, ter sido imunizada.

"Mas para a imprensa o v√≠rus sou eu", disse, em tom de queixa, num momento em que todos os especialistas em sa√ļde afirmam que este √© o pior momento da crise no Brasil, um dos tr√™s pa√≠ses do mundo mais afetados pela pandemia, e que registou na ter√ßa-feira 1.641 mortes, um novo recorde di√°rio de √≥bitos.

Al√©m disso, os hospitais em quase todo o pa√≠s chegaram a um n√≠vel de colapso nos √ļltimos dias, a tal ponto que alguns estados, como Santa Catarina, um dos mais pr√≥speros do pa√≠s, tiveram que transferir dezenas de pacientes para outras regi√Ķes diante da falta de camas de cuidados intensivos.

Apesar do agravamento da pandemia, Bolsonaro tem criticado as medidas de isolamento social decretadas por vários governadores e prefeitos, tem questionado a eficácia do uso de máscaras para evitar a propagação do vírus e das próprias vacinas, consolidando o seu posicionamento negacionista em relação à gravidade da pandemia.

O Brasil, como muitos países do mundo, enfrenta sérios problemas de acesso às vacinas, das quais só adquiriu, até agora, a produzida pelo laboratório chinês Sinovac e a desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford.

Porém, essas vacinas chegam a conta-gotas e a aposta do Governo está na produção local de ambos os antídotos, que, segundo já admitiram o Instituto Butantan de São Paulo e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), associados, respetivamente, à Sinovac e à AstraZeneca, só começará de forma massiva no final deste ano.

O pa√≠s sul-americano lida ainda com a nova estirpe detetada no Amazonas (P.1), que j√° se espalhou pelo territ√≥rio nacional e que, segundo o pr√≥prio Minist√©rio da Sa√ļde brasileiro, √© pelo menos "tr√™s vezes mais contagiosa" do que a original.

Segundo dados oficiais, at√© esta quarta-feira o Brasil acumulava 257.361 mortes e quase 10,7 milh√Ķes de infe√ß√Ķes desde o in√≠cio da pandemia, h√° pouco mais de um ano.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.549.910 mortos no mundo, resultantes de mais de 114,7 milh√Ķes de casos de infe√ß√£o, segundo um balan√ßo feito pela ag√™ncia francesa AFP.

Leia Tamb√©m: Mour√£o insinua que Bolsonaro pode trocar ministro das Rela√ß√Ķes Exteriores

Mundo ‚łĪ Covid-19