Not铆cias ao Minuto 1y atr谩s Abrir

Uma vit贸ria do democrata Joe Biden nas pr贸ximas elei莽玫es presidenciais dos EUA pode levar a uma desvaloriza莽茫o do d贸lar e uma rea莽茫o mais cautelosa dos mercados, segundo a avalia莽茫o feita hoje por um painel de especialistas.


De acordo com a maioria das sondagens, o cen谩rio mais prov谩vel para as elei莽玫es presidenciais dos EUA, em novembro, 茅 o de uma vit贸ria do candidato do Partido Democrata, Joe Biden, e a reten莽茫o do controlo do Senado por parte do Partido Republicano.

Para um painel de especialistas de economia da empresa de investimento estrat茅gico Schroders, reunido num 'webinar' em que a Lusa participou, este cen谩rio causar谩 maior instabilidade, o que os mercados geralmente temem, levando a uma ligeira desvaloriza莽茫o do d贸lar e uma rea莽茫o mais conservadora dos mercados.

Sean Markowicz, estratego global da Schroders, disse que uma derrota do republicano Donald Trump poder谩 ampliar ainda mais as quedas das bolsas de valores, j谩 debilitadas pelos efeitos da pandemia de covid-19.

"O aumento de impostos proposto por Joe Biden poder谩 provocar retra莽茫o nas empresas", explicou o especialista da Schroders, embora alertando para o facto de o candidato democrata poder representar maior estabilidade nos mercados internacionais.

"A vit贸ria de Biden, com a promessa de se manter firme com a China, mas tamb茅m com a promessa de recuperar as alian莽as com os aliados dos EUA, pode ter um efeito positivo na economia mundial", acrescentou Markowicz, recordando ainda que se os republicanos continuarem a controlar o Senado, as mexidas nos impostos prometidas pelo candidato democrata podem ficar suspensas.

O economista-chefe da Schroders, Keith Wade, admitiu que a economia dos EUA poder谩 ter uma retoma mais lenta do que a queda provocada pela pandemia, regressando 脿 normalidade num esquema em "U", em vez de um esquema mais otimista em "V", devido 脿s incertezas provocadas pela chegada de uma nova vacina, mas tamb茅m pela inc贸gnita espoletada pela vit贸ria de Biden.

Wade lembrou que esta ser谩 a primeira vez em que a economia norte-americana sofre uma defla莽茫o dos servi莽os, em vez de uma defla莽茫o industrial, por causa da pandemia, j谩 que as pessoas ter茫o alguma relut芒ncia em regressar, em breve, a uma pan贸plia de servi莽os, ligados aos transportes ou ao turismo.

O economista-chefe disse que o d茅fice p煤blico dos EUA pode chegar perto dos 300%, por causa do esfor莽o dos cofres do Estado em socorrer a economia do impacto da pandemia, e mostrou 铆ndices que mostram que setores como a hotelaria e a restaura莽茫o est茫o a estabilizar em n铆veis bem abaixo daqueles sentidos nos 煤ltimos anos.

Piya Sachdeva, economista da empresa de investimento, referiu-se a estes 铆ndices para mostrar como eles s茫o adversos para as aspira莽玫es de Donald Trump conseguir um segundo mandato presidencial, recordando que as estat铆sticas mostram que as elei莽玫es nos EUA s茫o, em grande parte, um referendo ao desempenho da economia.

A economista diz que os baixos n铆veis de popularidade de Trump se devem 脿 forma como o atual Presidente dos Estados Unidos tem gerido a pandemia, mas tamb茅m 脿 avalia莽茫o que os norte-americanos fazem da resposta 脿 crise econ贸mica.

"脡 muito dif铆cil um Presidente incumbente ganhar elei莽玫es no momento em que o desemprego est谩 em n铆veis muito elevados", explicou Sachdeva, mostrando como s茫o os estados mais afetados economicamente aqueles que est茫o a revelar inten莽玫es de voto mais favor谩veis a Joe Biden.

Contudo, para os investidores, concordaram Wade e Markowicz, as promessas de Biden em elevar os impostos, at茅 28% para as grandes empresas, e a incerteza sobre a sua pol铆tica econ贸mica s茫o fatores de incerteza, podendo atrasar ainda mais uma retoma, no final da pandemia.

Leia Tamb茅m: Colin Powell anuncia apoio a Joe Biden nas presidenciais norte-americanas