Tek ⸱ 13d atrás ⸱ Abrir

Arranca esta terça-feira uma campanha de sensibilização que leva para a estrada a PSP e a GNR e que vai fiscalizar o uso de telemóvel ao volante. 


A campanha “Phone-off - A conduzir não uses o telemóvel” avança esta terça-feira, dia 23 de fevereiro e prolonga-se até ao dia 1 de março. Além da PSP e da GNR, envolve a  Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, para sensibilizar e fiscalizar os condutores para os riscos associados a esta prática.

Em comunicado, a ANSR revela que no ano passado foram registadas 23.038 infrações por manuseamento do telemóvel durante a condução, o equivalente a uma média de 63 infrações por dia. 

“Estudos científicos equiparam o uso indevido do telemóvel à condução sob o efeito do álcool, com consequências muito parecidas na atenção e na capacidade de reação”, alertam as autoridades.  

A mesma fonte recorda que a utilização do telemóvel durante a condução aumenta quatro vezes o risco de ocorrência de acidente, porque a realização das duas tarefas em simultâneo potencia lapsos de atenção e erros de avaliação. Lembra ainda que o uso de aparelhos eletrónicos durante a condução dificulta a interpretação da sinalização e facilita o desrespeito das regras de cedência de passagem, designadamente em relação aos peões.

Multas por falar ao telemóvel enquanto conduz vão custar o dobro Ver artigo

De recordar que o valor das multas aplicadas a quem fala ao telemóvel enquanto conduz duplicou já este ano. As novas regras estão em vigor desde 8 de janeiro e aumentaram o intervalo destas coimas para 250€ a 1.250€. A sanção acessória aumentou num ponto a penalização para a carta de condução (de dois para três pontos). 

Os locais onde serão realizadas estas ações de fiscalização e sensibilização foram divulgados pelas autoridades e são os seguintes: dia 23 de fevereiro: zona da Expo, Lisboa; dia 24 de fevereiro: E.N. 4, Vendas Novas;  dia 25 de fevereiro: estrada dos ciprestes, Setúbal e dia 26 de fevereiro: rotunda A8, saída de Óbidos.

O Plano Nacional de Fiscalização, que enquadra a ação iniciada esta terça-feira, faz parte do Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária, o PENSE 2020, que prevê a realização de campanhas de sensibilização e fiscalização coordenadas e em simultâneo, nos locais onde a incidência de determinadas infrações é maior.