Notícias ao Minuto ⸱ 2mês atrás ⸱ Abrir

Byun Hui-su, de 23 anos de idade, foi dispensada do exército após a operação de transição sexual.


A primeira militar transexual conhecida na Coreia do Sul, que foi dispensada do exército após realizar a operação de transição sexual, foi encontrada morta, esta quarta-feira, na sua residência, em Cheongju, no sul de Seul, segundo indicaram as autoridades policiais à Yonhap.

Byun Hui-su, de 23 anos de idade, levou a cabo a operação de transição de sexo em novembro de 2019, na Tailândia, e em janeiro deste ano foi dispensada do serviço.

A jovem estava em contacto com profissionais de saúde mental mas ficou incomunicável desde domingo, o que lançou o alerta. Foi encontrada pelos socorristas já sem vida.

A causa de morte ainda não foi oficialmente revelada.

Byun Hui-su combateu contra a depressão durante vários anos por causa de disforia de género, motivo pelo qual realizou a operação de readequação sexual, esperando poder servir no braço feminino do exército.

Porém, acabou por ser dispensada do serviço, em janeiro deste ano, tendo o exército justificado a decisão com o procedimento médico. De acordo com os militares, as regras permitem a dispensa de soldados com incapacidades físicas ou mentais que não tenham sido sustentados em combate ou no cumprimento do dever.

Hui-Su contestou a sua dispensa na justiça sul-coreana e prometeu continuar a lutar para ser reintegrada. Estava prevista para abril uma audiência em tribunal, de acordo o grupo de defesa militar Centro para os Direitos Humanos Militares da Coreia.

--

Se estiver a sofrer com alguma doença mental, tiver pensamentos auto-destrutivos ou simplesmente necessitar de falar com alguém, deverá consultar um psiquiatra, psicólogo ou clínico geral. Poderá ainda contactar uma destas entidades:

SOS Voz Amiga (entre as 16h e as 24h) - 213 544 545 (Número gratuito)

Conversa Amiga (entre as 15h e as 22h) - 808 237 327 (Número gratuito) e 210 027 159

SOS Estudante (entre as 20h e a 1h) - 239 484 020

Telefone da Esperança (entre as 20h e as 23h) - 222 080 707

Telefone da Amizade (entre as 16h e as 23h) – 228 323 535

Leia Também: Coreia do Norte explora prisioneiros de guerra sul-coreanos há décadas

Artigos relacionados