Rtp ⸱ 7d atrás ⸱ Abrir

Um centro para preservar a obra e o pensamento de Fidel Castro (1926-2016) foi inaugurado em Havana no quinto aniversário da sua morte, na presença do presidente venezuelano, Nicolas Maduro, numa visita surpresa.


Maduro, que não visitava Cuba desde dezembro de 2019, acompanhou o seu homólogo cubano, Miguel Diaz-Canel, e o ex-presidente Raul Castro na inauguração.

Numa mensagem publicada na rede social Twitter, o presidente venezuelano prestou homenagem a Fidel Castro, descrito como "um herói transcendental e inabalável que soube guiar o povo cubano no meio de dificuldades".

Nascido em 1926, Fidel Castro liderou a revolução contra a ditadura de Fulgencio Batista. Triunfou em 1959 e estabeleceu um regime socialista que continua até aos dias de hoje.

Adoeceu em 2006 e entregou o poder, após 47 anos de governo, ao irmão Raul, agora com 90 anos.

"No gabinete de #Fidel no Palácio da Revolução, tudo está como ele o deixou no seu último dia lá. Tento imaginá-lo no meio das duras batalhas de tantos anos difíceis. Inspira-me, toca-me. E eu continuo a lutar", escreveu no Twitter o atual presidente, Miguel Diaz-Canel, que sucedeu a Raul Castro em 2018.

O Centro Fidel Castro Ruz foi inaugurado no dia "em que se comemora o quinto aniversário do desaparecimento físico do líder histórico da Revolução Cubana", anunciou o diário oficial Granma.

Um mês após a sua morte, o parlamento cubano aprovou a Lei 123, que proíbe o uso do seu nome "para designar instituições, praças, parques, avenidas, ruas e outros locais públicos, bem como em qualquer tipo de decoração, reconhecimento ou título honorífico".

Nem sequer a sua imagem pode ser "utilizada para monumentos, bustos, estátuas, placas comemorativas e outras formas semelhantes de homenagem".

Assim, de acordo com os desejos de Fidel Castro, nenhum lugar público em Cuba tem o seu nome, embora a sua imagem esteja presente no país de muitas maneiras.

A única exceção é "a utilização do seu nome para nomear uma instituição que, de acordo com a lei, é construída para o estudo e divulgação do seu pensamento e obra", o que sucede com o centro inaugurado na quinta-feira.