Not√≠cias ao Minuto ‚łĪ 4d atr√°s ‚łĪ Abrir

O uso generalizado de carros el√©tricos √© o objetivo de um projeto europeu de nove milh√Ķes de euros e que ser√° liderado por uma institui√ß√£o portuguesa, com S√£o Miguel, nos A√ßores, como local de testagem das novas propostas.


Com o nome "Gestão de Veículos Elétricos para a neutralidade de carbono na Europa" (EV4EU), o projeto hoje divulgado é liderado pelo INESC-ID (Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores - Investigação e Desenvolvimento, em Lisboa) e é financiado pelo programa Horizon, programa-quadro de investigação e inovação da União Europeia para 2021-2027.

O EV4EU vai propor e implementar estratégias para impulsionar a utilização alargada dos veículos elétricos, envolvendo além de Portugal a Eslovénia, a Grécia e a Dinamarca, num total de 16 parceiros. As estratégias propostas serão testadas num local de cada um destes países.

O projeto não está centrado nos veículos elétricos mas na sua integração com as redes elétricas e com as cidades, explicou à Lusa Hugo Morais, investigador sénior do INESC-ID, professor no Departamento de Engenharia Eletrotécnica e Informática do Instituto Superior Técnico e coordenador do projeto.

"Não estamos focados nos automóveis serem mais ou menos baratos, até porque acreditamos que com a evolução tecnológica os preços vão baixar", disse o responsável, acrescentando que o local de carregamento de um carro elétrico, ou o facto de o carregamento ser relativamente lento, são problemas que precisam ser resolvidos e para os quais, entre outros, o projeto procurará dar respostas.

Segundo Hugo Morais o projeto come√ßa em maio e no final do ano come√ßam as demonstra√ß√Ķes das estrat√©gias de gest√£o centradas no utilizador V2X (Vehicle-to-Everything).

A tecnologia V2X permite a conex√£o do ve√≠culo com o que o rodeia (outros ve√≠culos e estruturas que o possam afetar ou que ele possa afetar), criando uma rede de carros inteligentes e uma rede tamb√©m inteligente de tr√Ęnsito. Melhora a seguran√ßa e diminui o fluxo de tr√Ęnsito e o consumo de energia.

Ao longo do tempo, de acordo com o mesmo respons√°vel, o projeto vai propor novos tipos de carregadores, novas aplica√ß√Ķes para os operadores de carregamento, ou ferramentas para os operadores de rede.

"Em 2050 80% dos ve√≠culos ser√£o el√©tricos, o que queremos √© criar condi√ß√Ķes para que essa seja uma transi√ß√£o natural, e que n√£o sejam as infraestruturas a impedir esse desenvolvimento", frisou Hugo Morais.

Num comunicado sobre o projeto o INESC-ID diz que o EV4EU se prop√Ķe promover mais informa√ß√£o sobre aspetos t√©cnicos e valor dos ve√≠culos el√©tricos e da tecnologia V2X, facilitar a integra√ß√£o de V2X com os Sistemas de Gest√£o de Energia em casas/constru√ß√Ķes e comunidades energ√©ticas, ou criar condi√ß√Ķes t√©cnicas para um desenvolvimento mais r√°pido da infraestrutura V2X.

Quer tamb√©m criar novos servi√ßos e modelos de neg√≥cio que incentivem os utilizadores de ve√≠culos el√©tricos, ou propor um quadro legislativo que incentive a utiliza√ß√£o de solu√ß√Ķes de transporte sustent√°veis, incluindo ve√≠culos el√©tricos.

Leia Também: Norte conta com 209 centros de resíduos elétricos e eletrónicos