Eco ⸱ 2mês atrás ⸱ Abrir

Iniciativa visa garantir que os países mais pobres têm acesso a vacinas, testes e tratamentos contra o novo coronavírus. Foi pedido um financiamento adicional de 22,8 mil milhões.


A Organização Mundial de Saúde (OMS) vai liderar um programa que visa garantir que os países mais pobres têm acesso justo a vacinas, testes e tratamentos contra o novo coronavírus. De acordo com a Reuters (acesso condicionado, conteúdo em inglês), esta iniciativa pretende conseguir medicamentos antivirais para pacientes com sintomas leves por apenas dez dólares (8,6 euros).

Um dos fármacos que deverá estar disponível é a pílula experimental molnupiravir da Merck & Co., refere um relatório sobre esta iniciativa. A OMS espera, até setembro de 2022, entregar mil milhões de testes Covid aos países mais pobres e adquirir medicamentos para tratar 120 milhões de pacientes em todo o mundo, estimando cerca de 200 milhões de novos casos durante os próximos 12 meses.

Os planos previstos no documento realçam o desejo da OMS de reforçar o fornecimento de medicamentos e testes a um preço relativamente baixo, depois de ter “perdido a corrida” da vacina para os países mais ricos, que ficaram com grande parte das remessas disponíveis no mundo, deixando os países mais pobres com poucas vacinas contra o novo coronavírus, diz a Reuters.

Para este programa, chamado ACT-A, é pedido aos líderes mundiais do G20 um financiamento adicional de 22,8 mil milhões de dólares (19,7 mil milhões de euros) até setembro de 2022, que será usado para comprar e distribuir vacinas, testes e medicamentos para os países mais pobres. Até ao momento, já foram prometidos 18,5 mil milhões de dólares (16 mil milhões de euros).