Notícias ao Minuto ⸱ 2mês atrás ⸱ Abrir

O Ministério Público espanhol pediu hoje 15 anos de prisão para cada um dos três acusados de violar em grupo, em 2019, uma jovem durante as festividades de São João em Cambrils (Tarragona, leste de Espanha).


A acusação justifica os 15 anos de prisão com base num crime de delito continuado de agressão sexual, após o que terão de cumprir outros oito anos de pena suspensa.

Segundo o Ministério Público espanhol, os acusados não poderão comunicar de modo nenhum com a vítima nem dela aproximar-se a menos de 500 metros durante 20 anos, tendo ainda de pagar uma indemnização de 10.000 euros.

A vítima foi uma 'disc-jockey" que tinha atuado antes numa discoteca no município vizinho de Salou e que, depois, acompanhou um grupo de conhecidos ao apartamento de um deles, onde ocorreram os factos.

Após consumada a tripla violação, a vítima, com a ajuda de uma amiga, conseguiu depois abandonar a habitação, tendo apresentado queixa na polícia local, que aplicou o protocolo de agressão sexual e prendeu os três acusados, um deles com antecedentes criminais.

O juiz decretou então a pena de prisão preventiva, devido ao risco de fuga.

A sentença será conhecida nos próximos dias.

Leia Também: "'Foi só uma vez'... Coagir sexualmente uma pessoa é crime público"

Mundo ⸱ Espanha

Artigos relacionados