Rtp ⸱ 1m atrás ⸱ Abrir

As autoridades de saúde alemãs registaram 9.019 novas infeções pelo novo coronavírus e 418 mortes nas últimas 24 horas, aguardando-se os resultados da reunião de hoje da chanceler alemã, Angela Merkel, com os responsáveis dos Estados.


Há uma semana, 8.007 novos positivos e 422 mortes foram registados num dia.

Na Alemanha como um todo, a incidência acumulada em sete dias é atualmente de 64 novos casos por 100 mil habitantes.

Na terça-feira, a incidência acumulada em sete dias foi de 65,4 novos contágios por 100 mil habitantes e na quarta-feira passada foi de 59,3 novos casos (por 100 mil habitantes), segundo dados do Instituto Robert Koch (RKI) atualizados na madrugada de hoje.

O pico da incidência foi registado em 22 de dezembro com 197,6 novas infeções por 100.000 habitantes numa semana e em 28 de janeiro caiu para menos de 100 pela primeira vez em três meses, mantendo essa tendência de queda até há cerca de duas semanas.

O fator de reprodução semanal é de 0,94, o que significa que cada 100 infetados contagiam em média outras 94 pessoas.

O número de casos positivos desde o anúncio do primeiro contágio no país, em 27 de janeiro do ano passado, ascendeu aos 2.460.030 - dos quais cerca de 2.274.400 são pacientes considerados recuperados - e o número de mortes pela covid-19 subiu para 70.881.

O RKI estima que existem 114.800 casos ativos atualmente no país.

O número de pacientes com covid-19 em unidades de cuidados intensivos na terça-feira aumentou para 2.854 (15 a mais num dia), dos quais 1.616 (57% e 27 a menos em comparação com segunda-feira) precisam de respiração assistida, de acordo com dados da Associação Interdisciplinar de Cuidados Intensivos e Medicina de Emergência Alemã (DIVI).

Desde 26 de dezembro, o número de pessoas que já receberam pelo menos a primeira dose de qualquer uma das três vacinas disponíveis contra covid-19 na Alemanha aumentou para 4.234.952, ou 5,1% da população. Enquanto 2.159.412 pessoas (2,6%) já recebeu a segunda dose.

Os media locais informaram na terça-feira que a chanceler alemã e os responsáveis dos Estados vão estudar algumas medidas para flexibilizar as restrições à vida pública e à atividade económica, que estão limitadas até o dia 07 de março.

Vão ainda estudar a introdução de um "travão de emergência" para reverter um eventual aumento da incidência de casos que supere um certo limite durante três dias consecutivos no país.

Mundo ⸱ COVID-19