Na categoria questões sociais

Diário de Notícias Eco Jornal I Notícias ao Minuto Observador Público Rtp Sapo 24 Shifter Sol Tek
Loading...

Prémio salarial da escolaridade está a cair para os mais jovens

Análise da justiça intergeracional no mercado de trabalho português revela dificuldades dos mais jovens nas relações contratuais, nos ganhos adicionais conseguidos com a educação e no acesso a... →

Imigrantes que estavam na agricultura no Sul estão agora nas indústrias de granito no Norte

Industriais no distrito de Vila Real não encontram mão-de-obra local e tinham já muitas encomendas atrasadas. Empresas de extracção de granito estão a recorrer a imigrantes para colmatar a falta de... →

Excesso de peso e obesidade infantil ainda atingem 30% das crianças

As prevalências de excesso de peso e obesidade infantil baixaram em todas as regiões do país entre 2008 e 2019, mas uma em cada três crianças é afectada. As prevalências de excesso de peso e... →

Inquérito étnico-racial: conhecimento e/ou discriminação?

Não me parece descabido que o inquérito nacional seja realizado pela primeira vez, na medida em que, por um lado, urge conhecer para ajudar e, por outro, tais categorias étnico-raciais já existem... →

Falar muito é um defeito?

A minha birra de hoje é a favor das crianças que falam pelos cotovelos. Em casa, no carro, na escola, entre amigos, com os avós. Ana,  Quero falar-te de miúdos que falam pelos cotovelos. Ou seja,... →

Esquerda tenta contornar veto na inseminação post-mortem: herdeiros poderão esperar cinco anos e filho ser deserdado

Partidos discutem regras a inscrever no Código Civil sobre acesso à herança pelos herdeiros já existentes e dos que nascerão por via da inseminação. Seis meses passados sobre o travão presidencial... →

Jovem da Libéria devolveu 50 mil dólares que encontrou na rua. Presidente recompensa-o

Emmanuel Tuloe encontrou 50 mil dólares embrulhados em plástico quando viajava na auto-estrada. Recebeu uma bolsa para retomar os estudos, apoio financeiro e ainda duas motorizadas. O Presidente da... →

Sim, os miúdos estão a jogar ao Squid Game no recreio. E agora?

A mimetização que sai do ecrã para a vida real está a angustiar pais, educadores e especialistas em desenvolvimento infantil, muitos dos quais se perguntam como é que os mais novos ouviram falar da... →

Número de menores vítimas de tráfico de seres humanos sinalizados em Portugal diminui devido à pandemia

Segundo o Observatório de Tráfico de Seres Humanos, no ano passado foram sinalizadas 229 situações relacionadas com o tráfico de seres humanos em Portugal, menos 52 registos em relação a 2019. A... →

Os adolescentes precisam de ouvir falar sobre saúde e doença mental em família

Alguns problemas do foro mental são invisíveis aos olhos de muitas famílias que movem-se no dia-a-dia mergulhadas em acções rotineiras, restando poucos momentos para ouvir e para estar uns com os... →

A clarividência

O tempo que perdemos em julgamentos e avaliações pífias rouba-nos espaço à nossa própria hipótese de sermos mais felizes, mais realizados com o que temos. Sei que são muitas as vezes em que cito... →

Cresce o abismo entre os jovens e o futuro

A fragilidade económica tem resultado no crescer do fosso entre os mais novos e os mais velhos, uma brecha no tecido social de consequências imprevisíveis. O baque veio pela altura do pedido de... →

O duplo tchau

Lembro-me da altura em que os portugueses começaram a dizer tchau. Escrevi sobre essa absurda afectação, pensando que era uma moda e ia passar. Mas não passou. Sou tão velho que me lembro da altura... →

Mais de 1,6 milhões de portugueses vivem com menos de 540 euros por mês

Ter um emprego não é garantia de não se ser pobre e Portugal está, aliás, entre os países da Europa com maior risco de pobreza entre trabalhadores. Mais de 1,6 milhões de portugueses vivem abaixo... →

A cidade: no tempo e no espaço

Hoje, continuo a ter uma avó a residir na Graça. Vive na mesma rua há cerca de 70 anos. Antes conhecia toda a gente, tratava os donos do comércio local pelo nome, não tinha receio de deixar a porta... →